Goalball do Brasil joga nesta terça para fazer história na América
Gaby, Moniza e Dani Longuini abraçam as companheiras e choram após vitória na semi; a imagem está bem fechada nos rostos das atletas. Foto: Ale Cabral/ CPB.

Goalball do Brasil joga nesta terça para fazer história na América

por Comunicação CBDV publicado 2022/02/21 20:19:00 GMT-3, Última modificação 2022-02-21T20:41:09-03:00
Seleções feminina e masculina disputam o ouro e buscam dobradinha inédita no torneio; mulheres nunca venceram

21/02/2022
São Paulo/SP

 

O goalball brasileiro tentará nesta terça um feito inédito: conquistar o Campeonato das Américas com suas duas Seleções, que se classificaram para as disputas pelo ouro depois de uma segunda-feira recheada de emoções, especialmente para as meninas. A final feminina, contra o Canadá, começa às 10h50. A masculina, diante dos Estados Unidos, às 12h, ambas com transmissão ao vivo tanto do SporTV 2 quanto do YouTube da CBDV (Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais).

 

Nas três edições já realizadas (2005, 2013 e 2017), as brasileiras foram vice-campeãs em todas. Aliás, esta terça marcará uma revanche para a Seleção feminina do Brasil, que perdeu em 2017 justamente para as canadenses (6 a 4) – no ano seguinte, em compensação, o troco veio na disputa pelo bronze do Mundial da Suécia, quando venceram por 7 a 2 e tiraram as rivais dos Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Já os rapazes são os atuais campeões da competição e vão reencontrar um velho conhecido, os Estados Unidos, que despacharam os canadenses na semi: 14 a 4. Os dois países se enfrentaram na semifinal de 2005 (vitória norte-americana por 6 a 1) e na decisão de 2017 (triunfo brasileiro por 8 a 3), além de terem se cruzado na semifinal dos Jogos Paralímpicos do Rio, em 2016, quando os brasileiros perderam por 10 a 1. "Esperamos representar a nossa nação da melhor maneira possível na final", disse o ala Parazinho, após o triunfo tranquilo na semifinal desta segunda: 13 a 3 sobre a Colômbia, com gols de Leomon (5), Dantas (4) Parazinho (3) e Emerson. Pela manhã, nas quartas de final, a vitória fora diante de Porto Rico (10 a 0). 

51895630761_6aef74325b_k.jpg
Jogadores do Brasil estão perfilados e batendo palmas. Foto: Ale Cabral/ CPB.

A Seleção Brasileira feminina, por sua vez, não teve vida fácil para carimbar a vaga na final e, consequentemente, no Mundial da China, marcado para junho – o Campeonato das Américas cede vaga a campeão e vice de cada categoria. Depois de passar pelas chilenas nas quartas de final (10 a 0), elas voltaram à quadra para uma revanche contra as norte-americanas, algozes nos Jogos de Tóquio, quando eliminaram as brasileiras com um gol a 12 segundos do fim do jogo. Desta vez, a história se inverteu. Com 5 a 4 a favor do Brasil, a ala Jéssica cometeu uma penalidade a seis segundos do estouro do cronômetro. O alívio veio na defesa do arremesso feito por Eliana Mason. 

"Eu acreditei no meu potencial, bati aqui (batendo com a palma das mãos nas pernas) e falei 'eu vou chegar nessa bola'", falou a ala, em entrevista ao SporTV, que exibiu todas as semifinais e repetirá a dose nesta terça, com a transmissão dos quatro confrontos valendo medalha.

Antes das decisões, haverá as brigas pelo terceiro lugar do torneio: no feminino, Argentina e EUA jogam às 8h30; no masculino, Canadá e Colômbia se encaram às 9h40. Essas duas partidas também serão exibidas ao vivo tanto no SporTV quanto no YouTube da Confederação.

 

Confira os resultados desta segunda:


Feminino

Quartas de final

Brasil 10 x 0 Chile
México 4 x 5 Argentina
Peru 0 x 10 EUA
Guatemala 0 x 10 Canadá

Semifinal

Brasil 5 x 4 EUA
Argentina 2 x 4 Canadá


Masculino

Quartas de final

Brasil 10 x 0 Porto Rico
Argentina 2 x 12 Canadá
Colômbia 9 x 8 México
Venezuela 4 x 14 EUA

Semifinal

Brasil 13 x 3 Colômbia
Canadá 4 x 14 EUA

CLIQUE AQUI para acessar a GALERIA DE FOTOS do evento.


Patrocínio

A Loterias Caixa é a patrocinadora oficial do goalball brasileiro.

 

Comunicação CBDV
Renan Cacioli
[email protected].br
+ 55 11 99519 5686 (WhatsApp)

Voltar ao topo